Uncategorized

Como enlouquecer um publicitário

Depois de ler Como enlouquecer um fotógrafo, resolvi fazer a minha própria lista de coisas que os amados clientes das agências fazem e deixam qualquer publicitário com os nervos à flor da pele.

1. “Meu sobrinho faz este trabalho melhor que você”

Seja para criar um logotipo ou um anúncio, as chances de ouvir algo parecido é muito grande. Afinal, qualquer um que mexe no Corel Draw vira automaticamente um Diretor de Arte e/ou Designer, não é?

2. Definir por conta própria quais programas o comercial vai passar

A mãe adora a Hebe, o filho curte TV Globinho, a esposa é vidrada no Hoje em Dia, a filha em Malhação e o irmão curte o CQC. Para agradar todo mundo em casa, o cliente pede para o comercial passar em todos esses lugares, mesmo que a campanha seja sobre peças de automóveis. Para que contar com o bom senso do Mídia se ele tem bom gosto, não é mesmo?

3. Mandar a idéia para a agência produzir

Dizem que de médico e louco todo mundo tem um pouco. Acrescente neste ditado a classe publicitária. Se até as próprias mães dos criativos gostam de sugerir idéias, imagine o cliente. Através do atendimento, ele já mostra para a agência como serão os títulos, roteiros e layouts da campanha. Afinal, ele está pagando e quer mostrar o seu talento para o público.

4. Usar materiais amadores

A tecnologia cada vez oferece para simples mortais aparelhos cada vez mais poderosos. Para que pagar um fotógrafo profissional se uma digital de 10 MP já resolve a situação, não é mesmo? Qualidade é nada, imagem é tudo. Pelo menos para quem usa esses aparelhos para produzir a campanha.

5. Usar modelos amadores

Seguindo a linha do tópico anterior, para que pagar modelos profissionais se a filha do cliente sonha com um papel na TV e vê o comercial do papai como uma porta para o seu sonho ser realizado? E o produto entra na história como um mero coadjuvante.

6. Aumentar a logomarca

Isso já aconteceu com onze entre dez agências. Todo o material está 99% aprovado, se não fosse o pequeno detalhe que a logo deve ser aumentada, ser o destaque do anúncio.

Certamente existem mais situações que deixam qualquer pessoa que trabalha com publicidade com vontade de se mudar para o hospício. Se você passou por algo diferente, compartilhe sua experiência nos comentários.

Deixe seu recado

68 Comentários

  1. E quando pedem pra posicionar a logomarca em cima, ou no meio da peça….ahhhhhh.
    O jeito é respirar fundo e começar a explicar tudo de novo. Será que um dia eles vão entender? Ou será que somos alienígenas incompreendidos?

  2. Não é só cliente que é chato não. Tem muito diretor de arte inseguro ou que não sabe o que quer. Nos meus anos de assistente de arte, cansei de apresentar proposta de layout/ilustração, e apresentar como resolvida a arte; porém a mando de alguns diretores tinha que refazer por pelo menos 3 vezes cada trabalho, para após um grande tempo perdido ouvir coisas como “Pois é…volta na primeira que eu acho que tava resolvida mesmo…” Acredito que a indecisão/dúvida é uma condição humana, seja do cliente ou profissional envolvido. Hoje em dia abandonei a publicidade para trabalhar no mercado editorial e a questão se repete. O livro inteirinho fechado, o cliente pede para aumentar o corpo da fonte para ler melhor (devem pensar que livro/revista são mídias exteriores, que precisem de visibilidade a distãncia). Enfim, em nossa área dito “artística/criativa lidamos diretamente com gosto pessoal, e isso faz parte do jogo. É preciso mostrar nossa visão profissional, mas se o cliente/chefe bater o pé, somos “carta vencida” e temos que acatar, afinal, o trabalho não é nosso, é da empresa ou do cliente, o que de certa maneira nos torna simplesmente realisadores. Minha opinião é de dar valor ao trabalho encomendado por pessoas que nos dêem o valor enquanto profissional. Pro resto, somos mão-de-obra.

    1. Na verdade é falta de respeito com o profissional. Vai me dizer que um médico, por exemplo, (salvo os plásticos) vai ficar dando ouvidos ao paciente de como dever ser feita a cirurgia e correr o risco de dar tudo errado? O cara estuda publicidade, design, se especializa pra quê? Se vc acha que o seu sobrinho faz melhor então vai lá pedir pra ele, mas se quiser mesmo um trabalho de gente grande procure um profissional e deixe-o trabalhar! =P

  3. Eu, como não tenho bola de cristal, não digo “dessa água não beberei”. Mas digo que prefiro vender picolé na praia a voltar a trabalhar em agência. Já trabalhei em várias e em TODAS elas o que vemos é o calote institucionalizado. Você trabalha muito mais do que o seu contrato prevê e não recebe um centavo a mais por isso. Isso sem falar que as agências se recusam a estabelecer um banco de horas ou abrir um diálogo com os funcionários sobre as horas que nos roubam. E as viradas de noite? Experimente chegar mais tarde no dia seguinte a uma virada. É esporro na certa.
    Meus amigos, é por essas e outras que venero o Samba da Refação, o qual reproduzo abaixo:

    Samba da Refação

    Veio todo engomadinho
    Saco pardo na mão
    Deu um sorriso forçado
    Gaguejando para o meu lado
    Me pedindo uma refação

    O que tu argumentaste
    Indaguei sem me tocar
    O coitado nem responde
    Não sabe quem, o que, nem onde
    Sai mais em conta por um fax no lugar

    Refação de cú é rola
    Você sabe meu irmão
    Todo dia o bicho pega
    Já chamo puta de colega
    No fundo é a mesma profissão

    Passa o dia na internet
    Sai às 11 pra almoçar
    Saladinha com yogurt
    Depois volta pro orkut
    Desse jeito não tem como aprovar

    E nem admira ai
    Não ter prazo pra criar
    Não existe outra iguaria
    Que a minha pastelaria
    Ainda não serve caviar

    Refação de cú é rola
    Você sabe meu irmão
    Todo dia o bicho pega
    Já chamo puta de colega
    No fundo é a mesma profissão

    http://www.youtube.com/watch?v=gY1LsofHj5g

  4. Realmente todos situações descritas são um normais para quem passa 8 horas por dia dentro da agência, mas clássico mesmo é a agência produzir um belo material gráfico, cheio de acabamento, faca especial, verniz e tal, e o cliente chega e pergunta: Tem como fazer um certinho como vai ser, pra gente poder aprovar. Eu, que sou diretor de arte, ouço isso quase toda aprovação.

  5. So queria fazer 2 colocações: 1 – o termo correto é LOGOTIPO. Logomarca não existe pois a palavra “logo” se significa marca. Então marcamarca é redutante;
    2 – a competição de criaçao de logotipo cabe ao designer e não ao publicitário, pois o mesmo esta mais gabaritado para tal tarefa.

  6. Uma vez um cliente veio aqui na agência (começou errado né), sentou do lado do diretor de arte (piorou) e me pediu uma chamada. Quando mandei o que tinha feito ele olhou, pegou o celular e disse “pera, deixa eu ligar para minha mulher que ela é boa NESSE NEGÓCIO DE FAZER FRASE”. Ao ouvir isso fui fazer 3 horas de almoço para voltar só depois dele ter ido embora. Afinal de contas, quem tem uma mulher como a dele não precisa de uma redatora formada em publicidade e propaganda por perto né?

  7. Adorei! Pior que a gente é obrigado a ouvir esse tipo de coisa o tempo todo mesmo! Poderia incluir também o cliente que quer falar direto com a Criação, como se o Atendimento fosse tipo um telefonista pra transferir as chamadas…

  8. Em período de campanha eleitoral chega um Candidato pra fazer seu “santinho” na grafica onde eu trabalhava…Detalhe, levou uma foto onde ele tava na frente da decoração da festinha de aniversário da filha, olhando pro lado. Ao me entregar aquilo disse: Pode virar meu rosto de frente, apagar o fundo e cortar só minha cara tá? Você consegue né?
    Seeem comentários!!!!

  9. Tem muuuito cliente achando que Photoshop faz milagres é incrivel, tipo assim: esse tomate quero q vire uma banana( já aconteceu comigo rsrrsrs)
    Tem aquele cliente que muda trezentas vezes um layout pro final escutar aquela frase: “guarda ai que mês que vem eu mando fazer, agora tô sem maney” rsrsrrs jesus apaga a luz… O de quero isso pra ontem, ou clientes que tem o gosto pro RIDICULO e acha que tá abafando…rsrs só digo então tá, pois agora estão pagando e seu lado experiente nãoooooo conta pra eles e ponto final…
    Agora canso de pegar clientes que não acha jeito de falar que quer tirar aquela figura e botar outra e mandão e-mails ou telefonemas mto mal educadas que faz qualquer designer mudar de profissão na hora…

  10. Hahah, Gostei do comentário da Jaykes (minha prima) e da Melissa, trabalhou comigo.

    Mas o pior de tudo pra mim, é:”NÃO GOSTEI!!!” – Não importando o quanto belo, lindo e conceitual tenha sido o seu trabalho, simplesmente o cliente solta essa, rsrrss

  11. Para começar, o site estava todo aprovado! Quando pronto e animado! Aparece o cliente na agência… vai até a sala de criação me procurando.
    Cliente: Oi Léo, então sabe aquelas pessoas no site? Queria girar para que ficassem de frente!
    Eu: Mas são fotos compradas no banco de imagens. Posso procurar alguma foto parecida, mais vai ter custo.
    Cliente: Não tem como passar dessa não?
    Eu: Mas vou ter que comprar outra foto… pedir para a equipe recortar e finalizar a foto para entrar ali.
    Cliente: Mas não compra outra foto não. Gostei dessa, só preciso que você gire as pessoas para que fiquem de frente! Sei que você é bom para caramba no Photoshop né?!

    Queria que existissem todas as funções prontas que as pessoas acham que tem no Photoshop. rsrs…

  12. Eu estou nesse momento com uma cliente. Criação de material para escritório de advogados: Ela é fã de amarelo e azul turquesa! o.Ô

    Apego com cores nada a ver com a empresa é foda!

  13. o Item #3. é Genial!!! O cliente manda o layout pronto, as idéias, textos e se mete a produzir? E ainda pagar pelo job? Máximo!
    E aqueles que no final do projeto dizem:
    “Hmmm poderia colocar roxo aqui, a minha ‘logomarca’ pra cá, adiciona uma galeria de fotos, um gerenciador para que eu possa ficar trocando os produtos, um botão para que eu possa mandar email pros meus clientes e quero meu site no primeiro lugar do Google.
    – Ah! mas vai ter um acréscimo de R$…
    – O que? Já paguei pelo serviço, você ainda quer me extorquir para fazer estas coisinhas básicas?
    Diga não aso “cabeça-de-porco!”

  14. Sou publicitário, detesto fazer logotipos,sério.Mas sou obrigado a fazer pq os clientes pedem p as agencias, e eu como funcionário da agencia tenho q fazer.
    Mas pq os designers ficam com tanta raiva quando publitários fazem marca eu não sei, pois tem um monte fazendo anuncio e na função de diretor de arte por ai.

  15. Ih, pessoal. Vocês estão encrencando com as pessoas erradas… Estamos parecendo prostitutas contando uma para as outras o que os “clientes” gostam de fazer conosco.
    O cliente não tem obrigação de saber o que é logotipo e marca, regras de diagramação, edição, layout, estrutura. Tanto publicitários como designers devem cativar, mas se impor.
    Certa vez, quando tive minha filha hospitalizada, estava literalmente me metendo no trabalho do médico. Aprendi uma lição irônica com ele quando disse: “O pior paciente é o médico”.
    Experimente tratar seu cliente assim e comece uma caça às bruxas a quem realmente degrada as profissões de comunicação, ou seja, os maus profissionais.

  16. chegar com um cartão de visita ou qualquer outro impresso e dizer ta ai meu logo… e você ter que VETORIZAR logotipo de cliente, ai vc vi cobrar esse trabalho e o cara acha que ta errado, que você não tem que cobrar nada pra isso!!!!!

  17. Tem também o cliente que passa 2 meses pra aprovar o layout dos impressos da campanha e, depois de tudo aprovado, ele pede pra passar o arquivo pra corel – ou outro formato.
    Quando aparece 1 job desses, é de morrer em rgb parecendo 1 cmyk…

  18. É, uma das coisas que mais enlouquece um Publicitário é ver outro colega de profissão usando o termo logomarca.
    Argh, chega a doer nos olhos. Logo = marca, marca = marca, então logomarca é marcamarca, é redundante, é errado!.
    Poxa Blogcitario, decaiu no conceito ou é logotipo ou, se não tem tipagem, é somente logo. Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *