Listas

Dez coisas sobre publicidade no Facebook

O Facebook completou dez anos de vida há poucos dias e, pra comemorar a data, lançou retrospectivas para os usuários compartilharem na timeline. Neste período, naturalmente, a rede de Mark Zuckerberg evoluiu e com o aumento de usuários, foi necessário arrecadar dinheiro através da publicidade.

Facebook_10Anos

Em 2012 fiz um post sobre como anunciar no Facebook, que logicamente está desatualizado, mas fica como marco de como já tem um tempo que a mídia social ajudou a criar um novo mercado e departamento em várias agências de publicidade.

Veja quais foram os principais fatos que aconteceram com a publicidade no Facebook.

Criação de sobrinhos 2.0: se na publicidade tradicional é fácil achar pessoas que cobram quase nada para criar “anúncios”, imagine nas mídias sociais. Muita gente acha que pode gerenciar uma página porque “sabe mexer” no Facebook. Não é difícil entender o motivo dos anunciantes acharem um “absurdo” o valor de uma campanha por lá, mas quem investe em qualidade profissional geralmente tem bons resultados.

Anúncios em excesso no mobile: o smartphone está cada vez mais popular e as pessoas estão passando cada vez mais tempo no Facebook pela telinha. Mas a experiência pode ficar prejudicada, principalmente no app para iPhone e iPad. Anúncios neste formato aparecem praticamente a cada post que você passa. O que antes era mais natural, está cada vez mais invasivo.

Criação de mercado e cargos: como o Facebook é um dos pilares das mídias sociais no país, surgiu a necessidade de ter profissionais exclusivos para gerenciar anúncios, criar tabelas de monitoramento, métricas, etc. Paralelo a este fato, novos cargos foram e são criados dentro deste mercado.

Ações offline que se complementam com o FB: a mídia se tornou tão forte que muitos aplicativos oferecem a opção do usuário se conectar através do perfil. E algumas ações, como esta vending machine da Pepsi, utilizam likes e compartilhamentos na vida real para chamar atenção do público.

Amigos como hubs de viralização: se o conteúdo é rei na internet, produção é a rainha. Agências e anunciantes sabem que materiais muito bons precisam apenas de um empurrão para chegar nos formadores de opinião e se espalhar naturalmente na timeline das pessoas. E o Facebook facilitou esta viralização de vídeos, memes e imagens ao informar o número de amigos que compartilharam e comentaram determinado link. Eu mesmo vou logo conferir quando percebo que muitos amigos postaram o mesmo link em curto espaço de tempo.

Facebook_Publicidade_Dez_Anos

Anúncios laterais: acredito que seja o ponto mais fraco do sistema de publicidade deles. Eu mesmo não presto muita atenção a esta área e quando vou olhar, as peças não me interessam. Acho que há uma falha na intenção de entregar anúncios segmentados.

Criação express: uma das características das mídias sociais e, principalmente da propriedade de Mark, é a velocidade que as coisas acontecem por lá. Novelas, jogos de futebol e qualquer outro evento extraordinário são comentados em tempo real. Ainda são poucas marcas que utilizam a “segunda tela” para se destacar, pois muitas delas ainda adotam o método de aprovação da publicidade tradicional. Claro que o Cliente precisa aprovar o que vai ao ar com sua assinatura, mas muitos ainda não entenderam que aqui não há espaço para quem fica fazendo muitas alterações em uma peça para Facebook.

Páginas: as páginas se tornaram o espaço ideal para marcas, sites e blogs, pois é ali que eles reúnem usuários que querem receber seus conteúdos. O desafio para as marcas é entregar materiais que sejam criativos, divertidos e que não “forcem a amizade” querendo divulgar toda hora seus produtos e serviços.

Mídia espontânea: as pessoas gostam de postar fotos e comentar sobre os produtos que gostam ou detestam. Cabe às marcas fazerem monitoramento por lá para ficarem sempre atentos para minimizar os efeitos de possíveis polêmicas que surgirem por lá. É por isso que praticamente não há opção para as marcas em ficar de fora do Facebook ou deixar suas páginas muito tempo sem atualizações.

Compartilhamento: os likes, comentários e compartilhamentos ajudam na viralização dos conteúdos, mas este último acho mais interessante pela exposição do material, da página e da marca para pessoas que ainda não são fãs.

Apesar de, às vezes, surgirem comentários sobre como o Facebook está enfraquecendo, a mídia social completa dez anos com forte presença entre os brasileiros e, por enquanto, é a galinha dos ovos de ouro para quem atua na internet.

Agora quero saber como é o seu relacionamento com a publicidade do Facebook. Compartilhe sua opinião.

Deixe seu recado

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *