Artigo

As mídias sociais nas eleições 2014

Desde as eleições 2010 escrevo sobre minhas observações informais de como as mídias sociais influenciarão a disputa política. Em 2014, certamente, surgirão características muito peculiares em relação aos anos anteriores e que podem influenciar diretamente no resultado final nas eleições.

Eleicoes2014_Midias_Sociais

Apesar da campanha eleitoral começar oficialmente no dia 6 de julho, todos os gabinetes já estão se mobilizando nos bastidores e as mídias sociais dos pré-candidatos estão a pleno vapor dando pistas que a disputa virtual será intensa, mesmo não sendo “oficial”, como aconteceu entre Dilma Bolada e Aécio Digital.

A presidenta tem parceria com sua versão bolada, mas a sua página oficial tem menos fãs que a do Aécio Neves e Eduardo Campos. Mesmo assim, é a que possui mais engajamento e isso pode ser uma leve vantagem para Dilma.

Nas eleições estaduais, deve ter muita equipe de deputado tirando a poeira destes perfis que parecem Copa do Mundo, que só funcionam de quatro em quatro anos. Nem precisa dizer que aqueles que atuam regularmente já possuem uma audiência cativa e presença garantida na mente de parte do eleitorado, né?

Certamente, o Facebook não será a única mídia social utilizada pelos candidatos ao redor do país. A matéria da revista britânica The Economist indica que um em cada dez brasileiros utiliza com frequência o Twitter e 20% usam o WhatsApp. Mesmo em locais como no Pará, onde o estado tem menos de um terço de sua população conectada, investir nesta área será fundamental para quem está a fim de conquistar o eleitorado. O desafio destes políticos é não “forçar amizade” com seus fãs nestas mídias e transformar sua atuação no YouTube, por exemplo, em mera versão digital do offline.

Recentemente surgiu um fenômeno para analistas observarem: a TV Revolta. A página que ganhou milhões de fãs de forma meteórica e que posta muito em poucos minutos principalmente sobre política pode ter influência no resultado das eleições ou será apenas moda?

Com tantos fatos surgindo diariamente na web, resta observar como os presidenciáveis vão adaptar suas campanhas nas mídias sociais. Para a gente saber como está a imagem dos políticos, indique nos comentários quais são os perfis que você gosta de seguir e, se quiser, fale o motivo dele(a) ter ganhado o seu like.

Deixe seu recado

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *