Artigo

Frases que publicitários já ouviram em algum lugar

A rotina do publicitário tem tantos fatos curiosos que, de vez em quando, faz parte do roteiro de um filme ou seriado. Se parar para pensar, só neste mercado há uma dúvida permanente dos clientes sobre o valor que uma campanha publicitária tem para o seu negócio.

Ouvindo

escrevi aqui como a publicidade é importante até mesmo na crise. Mesmo assim, acredito que 99% dos publicitários já ouviram esta frases em algum momento da carreira. Nem que tenha sido uma vez. Pode até ser engraçado na ficção, mas na vida real a situação é mais dramática e precisa ser levada a sério.

Na hora do orçamento

– Vou analisar e qualquer coisa de aviso.
– Conheço alguém que pode fazer mais barato.
– Você tá me cobrando isso para algo que é rapidinho?
– Por este valor, até eu mesmo faço, só não tenho tempo.

Na hora de aprovar o job

– Adorei, por mim está aprovado. Mas preciso mostrar para a minha esposa.
– Tá aprovado, só precisa mudar algumas coisas.
– Tá legal, mas acho que está faltando algo que não sei o que é.
– Quero algo mais “clean”.
– Acho que aquela primeira opção realmente estava boa.
– Pode aumentar a marca?

Na hora do pagamento

– Sabe como está a crise, né? Todo mundo apertado…
– Já solicitei ao financeiro, mas ainda não obtive resposta.
– Pode dividir em 4 vezes?
– Já passou um mês? O tempo voa, né?

Na família

– [Mãe comentando com as amigas] Ele(a) desenha.
– Ele(a) é marqueteiro(a)
– Quando você vai aparecer na tv para apresentar telejornal?
– Ele(a) ganhou um prêmio aí, mas dinheiro que é bom…

Amigos

– Só anda nas melhores festas, né?
– E aí, tem como arranjar ingresso para aquele show?
– É você que fez aquele comercial que está passando na TV?

Na parte de família e amigos, uma explicação detalhada pode resolver estas dúvidas deles, mas quanto aos clientes, a melhor solução é, na hora da prospecção, propor uma rápida palestra para entender como funciona a sua agência ou o seu trabalho, caso seja freela. Se mesmo assim o cliente continuar com este comportamento, simplesmente deixe ele fazer com os “sobrinhos” para aprender na prática. Mas avise que, se retornar, terá que cobrar a mais para “consertar” o serviço de terceiros.

Já tive essa experiência onde o cliente achou que ia implorar que ele ficasse com a gente por achar o valor cobrado estava muito alto. Recorreu ao “sobrinho” e dias depois voltou querendo fazer o serviço. No final das contas, trabalhar com clientes que insistem em ter o comportamento acima gera perda de tempo, custos e dor de cabeça. Educar o cliente sempre é a melhor opção.

Deixe seu recado

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *